Evento termina com conferência “Todos os Mundos, Um só Mundo”, tema do UIA2020

Data: 13/10/2019

Departamento: Nacional

 A responsabilidade dos arquitetos e urbanistas com a construção de um mundo com espaços democráticos norteou o encerramento do 21CBA com a conferência “Todos os Mundos, Um só Mundo”, tema do 27º Congresso Mundial de Arquitetos. Sérgio Magalhães,  presidente do UIA 2020, apresentou a estrutura e as temáticas do encontro junto a Nivaldo Andrade Júnior, presidente da Direção Nacional do IAB. O encontro internacional terá sede no Rio de Janeiro em julho de 2020. 

Magalhães disse apostar no apoio mútuo e nas soluções complexas que são criadas pela diversidade de atores envolvidos em pensar as cidades. “Nos próximos 20 anos teremos um país a reconstruir. Temos que recuperar essa existência, recuperar as cidades. E esse é um trabalho dos arquitetos e urbanistas e das arquitetas e urbanistas, mas também dos demais profissões que tem responsabilidade sobre o espaço e com a população brasileira”. 

Nivaldo Andrade apresentou os eixos principais dos debates e destacou três importantes legados do encontro: a troca experiências; a promoção de transformações urbanas para melhorar as cidades; e a construção de uma agenda propositiva a partir de uma reflexão ampla e democrática.

Para Andrade, “a maioria dos encontros internacionais de arquitetura tende a mostrar um mundo colorido, longe da realidade. Queremos mostrar no Rio de Janeiro o presente desigual de um país eminentemente urbano, mas com fortes desigualdades sociais e econômicas”. 

Após a conferência, foram iniciadas as atividades artísticas na Praça da Alfandega para comemorar o evento. Dois shows musicais deram o tom final – Adriana de Los Santos e o Grupo Três Marias. 

Último dia – Mostrando o sucesso e receptividade do 21CBA, o público fez questão prestigiar em peso a programação do dia 12, cheia de bons encontros. A manhã foi marcada pelo painel sobre ODS e nova agenda urbana, com o arquiteto, planejador urbano e chefe de Capacitação e Formação Profissional da ONU-Habitat, Cláudio Acioly. “Em 2050, 70% da população global estará vivendo em cidades. Estamos caminhando para um planeta de cidades, queiramos ou não queiramos", afirmou. 

Essa foi a deixa para a maciça participação na Sessão Temática Planos Populares de Ação Regional, quando conselheiros e coordenadores cobraram do poder público municipal a maior participação popular no planejamento da cidade de Porto Alegre e na formatação da revisão do Plano Diretor, marcada para 2020. 

Na abertura da sessão, a arquiteta Clarice Oliveira, vice-presidente do IAB/RS, apresentou ao público o objetivo e a metodologia do projeto. De acordo com ela, Porto Alegre foi dividida em oito regiões, nas quais se formaram núcleos. Em todos eles, o IAB promoveu oficinas de formação, para compartilhar noções básicas de temas relacionados à Arquitetura e ao Urbanismo, para subsidiar os debates. “A inspiração é a tradição que Porto Alegre tem na participação popular e democrática. Pelo Estatuto das Cidades, esse processo de revisão do PD deve ser participativo”, explicou Clarice.

A costura do novo com o antigo – Ainda pela manhã, os arquitetos Flávio Kiefer e Marcelo Ferraz apresentaram grandes projetos que reúnem patrimônio e arquitetura moderna. “Um dos maiores desafios da arquitetura contemporânea é juntar o novo com o antigo. Como temos muito patrimônio, já há um intenso tecido constituído, nunca estamos trabalhando do zero. E acho que são essas conexões do novo com o antigo que nos deixam mais enlouquecidos”, disse Kiefer. 

À tarde, a palestra que encerrou as atividades do 21CBA foi com o arquiteto Paulo Bicca “Arquiteturas do Vazio”. A proposta de refletir sobre o tema surgiu quando conheceu o conteúdo da primeira Trienal de Arquitectura de Lisboa, em 2007, que tinha o título de Vazios Urbanos. 

Bicca falou a uma plateia guerreira - como brincou a mediadora Dalila Bohrer ao apresentá-lo - que assistiu atenta sua palestra até o fim, enfrentando o calor de quase 40º. O arquiteto desenhou seu argumento por entre os conceitos de diferentes momentos e dedicou a maior parte da sua apresentação a estabelecer relação entre a teoria de Le Corbusier e o conceito de vazio

Alameda Briane Bricca – No encerramento da mesa, Paulo Bicca dedicou frases famosas de Rosa Luxemburgo e Fernando Pessoa em memória da esposa Briane Bicca, homenageada do 21º CBA e que deverá dar seu nome a atual Alameda dos Jacarandás, na Praça da Alfandega. A ideia de nomeá-la como Alameda Briane Bricca foi confirmada em Sessão Temática. O próximo passo é enviar proposta para a Câmara de Vereadores de Porto Alegre. 

Galeria de imagens

Post sem comentários! Comentar o post