Comitiva da UIA conhece detalhes sobre o Congresso Mundial de Arquitetos de 2020

Data: 21/08/2018

Departamento: Nacional

Locais, palestras, debates, plano de comunicação e orçamento. Em sua segunda visita ao Rio, a diretoria da União Internacional dos Arquitetos (UIA) assistiu a uma apresentação detalhada de como deve ser o 27º Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio, que acontece na cidade em julho de 2020. E os membros da comitiva internacional parecem ter gostado do que viram.

“O Rio tem tudo que é preciso para fazer um grande congresso. E estou muito feliz com tudo o que foi apresentado. É preciso continuar esse grande trabalho e nós viemos aqui para contribuir, para agregar com nossa experiência na realização de congressos anteriores”, destacou o presidente da UIA Thomas Vonier, ao fim do primeiro dia de reuniões com os membros do Instituto dos Arquitetos do Brasil, do Comitê Executivo do UIA2020Rio - entidades que organizam o Congresso – e das entidades participantes do CIAU (Conselho de Instituições da Arquitetura e Urbanismo).

Um dos destaques da reunião foi a apresentação da Jornada do Público, que será totalmente integrada à incomparável paisagem do Rio. Ela começa na Arena Todos os Mundos, na Marina da Glória – onde acontecem as principais atrações como cerimônias de abertura e encerramento, mesas-redondas e palestras -, e segue por uma promenade ao lado da Baía de Guanabara – o Caminho Um Só Mundo - onde serão instalados pontos de descanso, alimentação, contemplação e integração com a cidade. O caminho termina no Museu de Arte Moderna, um dos exemplos da arquitetura modernista tão presente na cidade, além de um dos principais equipamentos culturais da região central da cidade, que durante o evento vai ganhar um novo “sobrenome”: Arquitetura 21.

“A gente quer que o MAM, que é uma obra de arte do século XX, seja o palco das discussões sobre o futuro, levando para lá parte dos debates e atrações mais voltadas aos estudantes”, explicou Sérgio Correia, diretor de planejamento estratégico da SRCom, empresa responsável pela organização do evento. “A gente acredita que essa divisão entre os locais vai permitir ao público circular por todo o evento e ainda interagir com a cidade, que é o nosso objetivo. Será uma experiência incrível e totalmente diferente”, completou.

A reunião também serviu para apresentar parte do conteúdo das palestras e debates que acontecem durante o Congresso. Além dos quatro temas principais (Diversidade e Mistura; Mudanças e Emergências; Fragilidades e Desigualdades; e Transitoriedades e Fluxos), foram sugeridos nomes de possíveis palestrantes, a realização de uma competição para estudantes de arquitetura e a organização dos debates durante o Congresso. A ideia é que sejam 18 painéis que reuniriam 36 debatedores entre arquitetos, intelectuais, sociólogos e artistas.

“Achamos que trazer profissionais de outras áreas, e não somente arquitetos, pode enriquecer ainda mais os nossos seminários. Queremos garantir também que haja equidade de gêneros entre os palestrantes e debatedores e diversidade etária e de regiões, com pessoas de todos os continentes”, destacou Elisabete França, coordenadora do Comitê Científico, que planeja o conteúdo programático do Congresso.

As ideias foram bem recebidas pela comitiva da UIA, que além do presidente da entidade, conta ainda com o secretário geral Serban Tiganas; o vice-presidente para Americas, Roberto Simon; o vice-presidente para a Ásia, Austrália e Nova Zelândia Jong-Ruhl Hahn; e o tesoureiro Fabian Listerri.

Para Sérgio Magalhães, presidente do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio, a reunião propiciou uma importante troca de experiências:

“É importante que a experiência dos últimos congressos seja o mais amplamente possível incorporada para que possamos alcançar os nossos objetivos. E os amigos da UIA trouxeram uma extraordinária contribuição para a realização do Congresso. Tenho certeza que em 2020 teremos uma epopeia urbanística memorável”.

Fonte: http://www.uia2020rio.archi
 

Post sem comentários! Comentar o post