Ausência de arquiteto no canteiro de obra é cultural no Brasil, diz Conde Caldas

Data: 08/09/2014

Departamento: IAB RJ

Apesar dos avanços na metodologia construtiva e na concepção de projetos, arquitetos ainda são surpreendidos com detalhamentos de obras executados de forma diferente do que foi planejado. O problema não é novidade no Brasil, e a explicação é consenso entre os profissionais: a ausência do arquiteto no canteiro de obra. Para discutir o assunto, o IAB-RJ e a Feira Construir 2014 promoverão, no dia 15 de setembro, às 18h30min, na sede do próprio Instituto, mesa redonda com os arquitetos Edison Musa, Ernani Freire e Sérgio Conde Caldas.

De acordo com Sérgio Conde Caldas, a ausência do arquiteto no canteiro de obra é cultural. Geralmente, há um gerente de obra que assume o papel de acompanhar a construção, e o arquiteto só é chamado quando surge algum problema:

“Se analisarmos as empresas construtoras, a própria equipe de gerenciamento vai pouco à obra. Além disso, sempre ocorrem mudanças do plano no decorrer da obra, seja por facilidade ou incompreensão do instalador, geralmente terceirizados, ou por questões econômicas. No final, o arquiteto precisa fazer mágica para tentar resolver.”

Um dos cases que Sérgio Conde Caldas vai apresentar é o projeto do Movimento Terras, em Itaipava (RJ), primeiro empreendimento a receber a certificação de sustentabilidade Breeam – mais antigo selo de sustentabilidade do mundo, presente em mais de 50 países – na América Latina.

“Para o projeto do Movimento Terras, cujo objeto era a construção de oito casas sustentáveis, fizemos um grande planejamento. Treinamos todo o pessoal, desde o engenheiro até os pedreiros e instaladores, para tirar dúvidas sobre instalação e vedações, além de torná-los aptos a utilização dos novos materiais”, explicou Sérgio Conde Caldas.

A mesa redonda integra a programação do Fórum AC 21 – Arquitetura e Cidade no século XXI, que acontecerá nos dias 15 de setembro e 1º de outubro. O evento visa a resgatar o protagonismo do arquiteto no canteiro de obras e integra a programação da Feira Construir 2014, organizada pela FAGGA | GL Events Exhibitions. A curadora é da vice-presidente de administração do IAB-RJ, Fabiana Izaga.


Serviço
Mesa redonda – A construção da cidade
Quando: 15 de setembro
Horário: 18h30
Local: sede do IAB-RJ
Endereço: Rua do Pinheiro, 10, Flamengo. Rio de janeiro – RJ

Post sem comentários! Comentar o post

Comentários (03)

Nesta matéria há uma contradição onde se fala que falta a cultura do arquiteto no canteiro de obras, porém quando se vai explicar sobre o Moivmento Terras se diz " (...) treinamos todo o pessoal, desde o ENGENHEIRO ATÉ OS PEDREIROS E INSTALADORES (...)" e onde estão OS ARQUITETOS?

responda esse comentário>>

Oi Camila, tudo bem? O treinamento foi feito por arquitetos para os outros profissionais envolvidos, como os engenheiros, os pedreiros, o chefe de obras, etc.

Um ponto importante sobre esta questão é que, em se tratando de obras públicas, os editais de licitação na maioria das vezes não incluem o Arquiteto como profissional integrante da equipe técnica. Há de se conscientizar os órgãos/empresas contratantes sobre a importância deste profissional também no canteiro de obras, para que haja uma mudança nesta "cultura". Tive a oportunidade de ser contratada como arquiteta em uma obra de grande porte, já na etapa final. Era a única arquiteta em meio a uns vinte engenheiros. Em uma obra seguinte da empresa, foram contratados dois arquitetos. Temos que mostrar nosso potencial!

responda esse comentário>>